Subprefeitura de Perus desrespeita População e realiza Encontro de Contratação sem a divulgação ao publico



Não adianta, não existe respeito com a população de Perus, novamente a subprefeitura administrada atualmente pelo Sr Celso Capato demonstrou que é igual a seus sucessores e ao prefeito Gilberto Kassab. Na surdina e sem a divulgação ao publico realizou um suposto "encontro" sobre o Parque Linear que vai ser construído em Perus com o dinheiro do credito de carbono.

Acho que devemos esquecer o " Hospital de Perus " pois segundo o Tribunal de Contas, Celso Capato (DEM) deve R$ 68 mil ao Consaúde,..

"Considero o Itaim minha segunda casa..." diz Celso Capato a um jornal de Itaim Paulista aonde foi subprefeito.

Veja nas notícias da subprefeitura de Perus, assim é fácil administrar o bairro de Perus e Anhanguera!


Texto da Prefeitura
No último dia 22 de junho, no auditório da Subprefeitura Perus, foi realizado o 1º Encontro da Contratação do Projeto Executivo e Processo de Educação Ambiental do Parque Linear que será construído em Perus. O objetivo desses encontros é criar uma consciência ambiental na região antes da implantação do referido Parque. Diversas entidades representativas da comunidade estiveram presentes ao evento, comandado pelo coordenador de Projetos e Desenvolvimento Urbano da Subprefeitura, Renato Andrade Martins, e pelos representantes da Fundação de Pesquisa Ambiental (FUPAM), Catharina Lima e Caio Boucinhas.

A FUPAM é uma fundação contratada pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente para realizar estudos dos Parques Lineares em toda a cidade de São Paulo, de acordo com o Plano Diretor do município. Em Perus, o Parque terá 1 milhão de metros quadrados e será dividido em 3 núcleos. O Programa de Educação Ambiental é um processo amplo de participação da sociedade local para que seja criada uma consciência de criação, manutenção e pertencimento ao Parque Linear.

O coordenador da Subprefeitura salientou a importância de se buscar no morador uma memória afetiva para conseguir colocar no projeto aspectos que atendam às necessidades da população local, com equipamentos culturais, esportivos e sociais dentro deste Parque. Neste sentido serão realizadas em breve duas Oficinas para buscar nos moradores, seus anseios em relação a um Parque que se estenderá por toda a região de Perus e que ao certo modificará a paisagem da região.


Prefeitura



Segundo o prefeitura não se pode gastar o dinheiro do credito de carbono com saneamento básico ou a saúde, só com esses parques lineares, isso é uma vergonha!



Adicione aos Favoritos: Adicionar ao Blogblogs Adicionar ao Rec6 Adicionar ao Linkk Adicionar ao Technorati Adicionar ao Delicious Adicionar ao Google Adicionar ao Yahoo

Facebook Twitter
Twitter

7 comentários:

  Anônimo

6 de julho de 2010 10:58

Prezados

Sou moradora de Perus ha mais de 30 anos, e acompanhei a reunião.
Gostaria de comentar algumas coisas muito importantes:

1- As reuniões são sempre abertas à quem quiser participar, eu fiquei sabendo e fui... o processo está começando agora, e eles disseram que farão muitas reuniões, com todos, para verificarmos nossas necesidades e construirmos JUNTOS o conceito do parque. Será BEM diferente de um projeto que vem pronto.

2- Se a verba é do crédito de Carbono, ela pertence, em grande parte,à Secretaria de meio-ambiente, que só pode investir em meio-ambiente (e não em hospitais). Com esse argumento, ficou bem claro uma coisa - a contratação da FUPAM foi feita porque a FUPAM é a USP - a equipe é de professores da USP e bons profissionais, que estão agora buscando, a partir de uma oportunidade de uma verba que deveria ser apenas ambiental, trabalhar as necessidades da população. Estão inclisive vendo altrnativas para não afastar a população que está muito perto do rio (eles sabem que a população comou a terra de uma associação que as enganou, e mesmo assim, qurem resolver de forma boa - entendem os problemas da população, porque trabalham com isso, e são pessoas de boa fé)

3- Estamos começando um processo novo, recebendo pessoas de boa fé. Inclusive tem arquitetas que moraram em Perus desde pequenas, e hoje estão na USP.
Então, temos que entender que esse é um processo que não está vindo de cima para baixo, e imposto pela população. Está partindo da boa ação e da luta de muitas pessoas que viveram no bairro, e estão brigando para que as reuniões sejam sempre abertas... e pelo que disseram, serão sim. Pelo que sei, está sendo planejada ma grande reunião co todos - eles inclusive pediram ajuda para quem esava lá, para indicar a maior quantidade de pessoas (que representam os grupos) que conhecíamos. Além disso, cada um de vocês poderá participar individualmente.

5- Pesquisei os nomes de alguns dos professores e aquitetos que estavam lá, pela USP (via FUPAM, e confirmei que são pessoas dignas, que desenvolveram uma profissão de repeito às pessoas, e não preocupados em ganhar dinheiro com o mercado imobiliário. Eles tem que fazer um trabalho bom, porque o que eles ganham com esse tipo de trabalho, é a possibilidade de fazer teses, etc. Então, eles não vão querer publicar uma tese de algo que seja ruim, já que isso é também uma jornada academica.Eu sou professora e sei o quanto eu tomo cuidado, no meu dia a dia, em não agir errado, porque meu trabalho é exemplo para muita gente. E com eles, é a mesma coisa.

4- Eles estão justamente tentando reunir as escolas, as comunidades, e estão pedindo ajuda a todo mndo, para divulgarem para o primeiro grande encontro que acontecerá, para a discussão do parque, para que o processo seja iniciado. Não existe nada imposto.

Então, minha sugestão é que, pela primeira vez, etá sendo feito algo por alguém que realmente se preocupa com a gente, e tem envolvimento emocional com a cidade. Assim, vamos tomar cuidado para não criarmos pre-conceitos com as coisas, antes de analisarmos de onde e como elas vem até nós. Vejo uma grande oportunidade, e as idéias deles são muito nobres (até porque muitos são daqui, e vem trabalhando para que tenhamos um equipamento publico digno, com escola e outras atividades que vão trabalhar a questão social - perguntaram para a gente e vão perguntar para todos os que forem. Então...vamos participar, já que agora temos voz, em uma equipe que está preocupada em nos ouvir e colaborar para transformar realmente esse processo, que está começando, em algo sadio, de boa fé, e bom para todos, já que eles querem valorizar o lugar, e nos valorizar- não nos afastar do parque)

Neusa - Professora

  Anônimo

6 de julho de 2010 11:27

Prezados

Sou professora, e moradora de perus ha mais de 30 anos.

Estive na reunião, e com base nisso, coloco algumas coisas importantes que testemunhei:

1- O grupo que vai iniciar o processo é um grupo de profesores da USP (via FUPAM). De forma diferente do que fo com EMURB, eles são estudiosos dos problemas da população, sendo que estão preocupados com nossa qualidade de vida (visto até que duas das arquiteta da equipe, também são moradoras antigas de Perus, e cresceram na borda do rio - e por isso, começaram a lutar ara que esse processo tivesse outra contratação, e fosse sadio)

2- Foi feita uma reunião, aerta a todos, mas ainda para ver como chamar toda a população. Eles pediram ajuda para indicarmos o maior número de representantes possível, para a Primeira Grande Reunião que ainda vai acontecer, acho que daqui uns 15 dias, mas TODOS serão avisados, que eles vão colocar cartazes.

3- A verba para o parque é, em grande parte, da Secretari do Meio Ambiente - ela é a gestora do $$, já que le vem do crédito de carbono. E a secretaria do meio ambiente não pode construir hospitais - mas pode, por exemplo, transformar um parque em uma área com escola, áreas esportivas boas, e trazer um projeto dgno para o centro, se preocupando com a questão social

4- Ficou bem claro que a intenção dessa nova equipe, é construir algo bom, em conjuto com as necessidades de todos. Eu sou professora e sei que não posso fazer algo errado (anti-ético)porque sou referencia para os meu alunos. O que essa equipe ganha, na verdade, desse trabalho, é a possibilidade de ver dar certo, e oder estudarm fazer teses sobre o processo, etc... a FUPAM é uma fundação sem fins lucrativos, e os professores e profissionais que estão na equipe são de boa fé.
Eu anotei os nomes e pesquisei - são pessoas que procuram fazer da profissão motivo para melhorar a qualidade de vida de outras pessoas. Têm prêmios, etc.

5- Eles estão inclusive conversando com a Sabesp, com a Secretaria da Habitação (para resolve a questão de quem foi enganado pela associação, comprou a terra e pagou, e agora descobre que é terra que o antigo proprietário que vendeu, invadiu).Mas eles estão tentando fazer com que a Secretaria da Habitação resolva, sem afastar ninguém do parque - isso eles fizeram questão de explicar.

Vamos aproveitar que temos agora gente da gente, tentando fazer algo pela gente, e conseguindo se fazer ouvir. Pelo que sei, eles estão trabalhando para essa verba ser usada de uma forma justa, ha mais de 2 anos, e sem ganhar nada, antes da contratação, porque querem o bem e estão envolvidos com a realidade das professoras que são daqui. Então vamos participar - ir e ouvir a verdade. Ver a boa internção que eles tem, e tentar ajuda-los a nos fazer bem.

Neusa

  Anônimo

6 de julho de 2010 11:28

Prezados

Sou professora, e moradora de perus ha mais de 30 anos.

Estive na reunião, e com base nisso, coloco algumas coisas importantes que testemunhei:

1- O grupo que vai iniciar o processo é um grupo de profesores da USP (via FUPAM). De forma diferente do que fo com EMURB, eles são estudiosos dos problemas da população, sendo que estão preocupados com nossa qualidade de vida (visto até que duas das arquiteta da equipe, também são moradoras antigas de Perus, e cresceram na borda do rio - e por isso, começaram a lutar ara que esse processo tivesse outra contratação, e fosse sadio)

2- Foi feita uma reunião, aerta a todos, mas ainda para ver como chamar toda a população. Eles pediram ajuda para indicarmos o maior número de representantes possível, para a Primeira Grande Reunião que ainda vai acontecer, acho que daqui uns 15 dias, mas TODOS serão avisados, que eles vão colocar cartazes.

  Anônimo

6 de julho de 2010 11:28

3- A verba para o parque é, em grande parte, da Secretari do Meio Ambiente - ela é a gestora do $$, já que le vem do crédito de carbono. E a secretaria do meio ambiente não pode construir hospitais - mas pode, por exemplo, transformar um parque em uma área com escola, áreas esportivas boas, e trazer um projeto dgno para o centro, se preocupando com a questão social

4- Ficou bem claro que a intenção dessa nova equipe, é construir algo bom, em conjuto com as necessidades de todos. Eu sou professora e sei que não posso fazer algo errado (anti-ético)porque sou referencia para os meu alunos. O que essa equipe ganha, na verdade, desse trabalho, é a possibilidade de ver dar certo, e oder estudarm fazer teses sobre o processo, etc... a FUPAM é uma fundação sem fins lucrativos, e os professores e profissionais que estão na equipe são de boa fé.
Eu anotei os nomes e pesquisei - são pessoas que procuram fazer da profissão motivo para melhorar a qualidade de vida de outras pessoas. Têm prêmios, etc.

  Anônimo

6 de julho de 2010 11:29

5- Eles estão inclusive conversando com a Sabesp, com a Secretaria da Habitação (para resolve a questão de quem foi enganado pela associação, comprou a terra e pagou, e agora descobre que é terra que o antigo proprietário que vendeu, invadiu).Mas eles estão tentando fazer com que a Secretaria da Habitação resolva, sem afastar ninguém do parque - isso eles fizeram questão de explicar.

Vamos aproveitar que temos agora gente da gente, tentando fazer algo pela gente, e conseguindo se fazer ouvir. Pelo que sei, eles estão trabalhando para essa verba ser usada de uma forma justa, ha mais de 2 anos, e sem ganhar nada, antes da contratação, porque querem o bem e estão envolvidos com a realidade das professoras que são daqui. Então vamos participar - ir e ouvir a verdade. Ver a boa internção que eles tem, e tentar ajuda-los a fazer algo por nós.

Neusa

  Anônimo

6 de julho de 2010 14:00

Concordo com a Neusa.

Essa é uma boa oportunidade, porque essa equipe me pareceu realmente preocupada em resolver as questões sociais, a partir das ambientais.

Todos estão sendo chamados para o primeiro encontro. A reunião que estivemos foi apenas uma reunião para conhecer as escolas, e ver como poderiam ajudar a chamar todos (eles disseram que a reunião acontecerá, provavelmente em uma escola, e normalmente as escolas tem bom alcance de divulgação, e cabe bastante gente). Mas não podemos distorcer o que foi feito com tanta boa fé, para que todos estejam no primeiro encontro grade...

Seria realmente perder uma oportunidade valiosa jogada fora... e fora a injustica com quem está lutando para, com esse projeto, melhorar nosso dia a dia, e achar uma forma de termos mais qualidade de vida. Que conhece nossa história, nossos problemas,nossas riquezas e dificuldades, e faz parte dela.

Com a verba da saúde, dá para fazer hospital. Mas com a verba que é de meio-ambiente (porque vem do credito de carbono, e por uma questão de administração publica, essa verba faz parte da secretaria de Meio-ambiente, e não da Saúde) dá para fazer parque, e nele colocar muitas coisas que precisamos (escola, etc).

Sem contar que eles estão sim preocupados com a terra das pessoas que foram enganadas e hoje moram sobre o rio.Essa é uma preocupação nobre - não tiraas pessoas de perto de onde elas estão, e negociar com a secretaria da habitação que proporcione outro local digno, ainda que as pessoas estejam sob terra invadida (eles tem a sensibilidade de ver que essas pessoas foram enganadas)- por lei, elas não teriam como ser ajudadas, mas eles estão vendo como esolver de uma maneira que todos fiquem contentes

Temos que participar, e ajudar, já que estão procurando nos ouvir, e já que tem gente na equipe que conhece e vive a nossa realidade (finalmente!) E não criticar sem saber a fundo, e minar ótimas intenções. O que vocês acham?

Ney

  Anônimo

6 de julho de 2010 14:17

Concordo com o Ney e com a Neusa

Uma coisa é papo político, outra coisa é o que aconteceu lá, de verdade. Não dá para colocar as intenções das pessoas tudo em uma mesma vala.

Tem gente muito responsavel e de boa fé. Que faz o trabalho deforma séria, e não se deixa corromper. A equipe é muito boa. É de professores e gente muito competente e simples. Humilde mesmo. Gente da gente, que vive como a gente, e que se dedicou, foi estudar e está na Usp. Mas tem boa fé. Fora que eles tem sempre o Ministerio Publico checando se é ético o que eles fazem...eles não são bobos. E temos sorte que eles conseguiram essa oportunidade de melhorar o lugar de onde eles mesmos vieram.

Se alguns da equipe cresceram aqui, são como a gente. Temos que ver que se não deixarmos que eles façam isso por nós, e não apoiarmos com tudo o de melhor que pudermos, quem vai fazer algo por nós?

Essa é nossa oportunidade.

Ademar